Sugestão
Subscribe to the Subscribe
And/or subscribe to the Daily Meditation Newsletter (Many languages)

Meditação Diária com Krishnamurti


pixabay.com

O Medo é a Não-Aceitação do Que É


O medo encontra diversas fugas. A variedade mais comum é a identificação, não é verdade? — a identificação com o país, com a sociedade, com uma ideia. Já repararam na forma como respondem quando vêem uma procissão, militar ou religiosa, ou quando o país está em risco de ser invadido? Então identificam-se com o país, com um ser, com uma ideologia. Noutras alturas, identificam-se com o vosso filho, a vossa mulher, com uma determinada forma de acção, ou de inacção. A identificação é um processo de auto-esquecimento. Enquanto eu estiver consciente do «eu», sei que haverá dor, luta, um medo constante. Mas se eu puder identificar-me com algo maior, com algo que valha a pena, com a beleza, com a vida, com a verdade, com a crença, com o conhecimento, pelo menos temporariamente, dá-se uma fuga do «eu», não é verdade? Se falo do «meu país», por momentos estou a esquecer-me de mim mesmo, não estou? Se puder dizer algo sobre Deus, esqueço-me de mim. Se me puder identificar com a minha família, com um grupo, com um determinado partido, com uma certa ideologia, então verifica-se uma fuga temporária.

Será que agora sabemos o que é o medo? Não será ele a não-aceitação do que é? Temos de compreender a palavra aceitação. Não estou a utilizar esta palavra no sentido de um esforço que é feito para se aceitar algo. Não há nada que aceitar quando se compreende o que é. Quando não vejo claramente o que é, então dou início ao processo de aceitação. Portanto, o medo é a não-aceitação do que é.

© 2016 Copyright by Krishnamurti Foundations


                         Diaspora      rss 

Exceto quando houver diferente indicação, o conteúdo deste site está licenciado sob a 'Creative Commons Attribution 4.0 International License'
Web Statistics