Sugestão
Subscribe to the Subscribe
And/or subscribe to the Daily Meditation Newsletter (Many languages)

Meditação Diária com Krishnamurti


pixabay.com

O Amor não É um Dever


Quando há amor, não há nenhum dever. Quando vocês amam a vossa mulher, partilham tudo com ela — os vossos bens, os vossos problemas, a vossa ansiedade, a vossa alegria. Não exercem domínio sobre ela. Não são o homem e ela a mulher que é usada e colocada de lado, uma espécie de máquina reprodutora que dará continuação ao vosso nome. Quando existe amor, a palavra dever desaparece. É o homem que não tem amor no seu coração que fala de direitos e deveres, e neste país os deveres e os direitos tomaram o lugar do amor. As regulamentações tornaram-se mais importantes do que a ternura da afeição. Quando há amor, o problema é simples; quando não há amor, o problema torna-se complexo. Quando um homem ama a sua mulher e os seus filhos, ele nunca será capaz de pensar em termos de dever e de direitos. Senhores, examinem os vossos próprios corações e as vossas próprias mentes. Sei que se vão rir disto — esse é um dos truques de quem é pouco reflectido, rir-se de algo e pô-lo de lado. A vossa mulher não partilha da vossa responsabilidade, não partilha dos vossos bens, ela não detém metade de tudo o que vocês possuem, porque a consideram inferior a vós mesmos, algo que deve ser conservado e usado em termos sexuais a vosso bel-prazer. Portanto vocês inventaram as palavras direitos e obrigações; e quando as mulheres se rebelam, vocês atiram-lhes com estas palavras. É uma sociedade estática, uma sociedade em deterioração, aquela que fala de dever e de direitos. Se examinarem os vossos corações e as vossas mentes com toda a atenção, descobrirão que não têm amor.

© 2016 Copyright by Krishnamurti Foundations


                         Diaspora      rss 

Exceto quando houver diferente indicação, o conteúdo deste site está licenciado sob a 'Creative Commons Attribution 4.0 International License'
Web Statistics